Ariquemes AGORA
Notícias

Leia as principais notícias de Rondônia

CASO TÁTILA - Família pedia Justiça e não acreditava em suicídio em Ariquemes - Vídeo

Por Ariquemes190 - Postado por Rosa Bettero - SRTE/RO-1194, 21/09/2020 13h43

Aos leitores, ler com atenção!
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

 (Foto: Rede Social)
Foto: Rede Social

Após a morte de Tátila Istela, a família, que em nenhum momento acatou a tese de que o fim da vida da jovem teria sido suicídio, organizou uma manifestação em forma de Pit Stop onde através de faixas e cartazes, parentes e amigos foram às ruas pedindo às autoridades que investigassem e fizessem Justiça pela vida de Tátila. Confira o Vídeo realizado pela à equipe de reportagens do Site Ariquemes190 e Canal 35.1 Digital, no dia do protesto. 

VÍDEOhttps://www.youtube.com/watch?time_continue=6&v=u_FCbCBCD4g&feature=emb_logo

RELEMBRE O CASO: ARIQUEMES: OPERAÇÃO LOKI - Cantor Kevyn é preso suspeito de Feminicídio

ENTREVISTA COM DELEGADO RODRIGO DUARTE OPERAÇÃO LOKI Cantor Kevyn é preso suspeito 

Após a morte da jovem Tátila Istela, a Polícia Civil já iniciou as investigações para constatar se a causa da morte teria sido um suicídio, como afirmava Kevyn, o amásio da vítima, ou se havia indícios de crime. O resultado do Laudo Tanatoscópico constatou que as lesões da jovem eram incompatíveis com a versão dos fatos apresentadas por Kevyn, o que motivou a prisão temporário do suspeito. Confira as entrevistas concedidas à equipe de reportagens do Site Ariquemes190 e Canal 35.1 Digital, pelo Delegado de Polícia Civil Dr. Ricardo Rodrigues, titular da Delegacia de Homicídios de Ariqquemes e Dr. Rodrigo Duarte, Delegado Regional de Polícia Civil em Ariquemes.

https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=9Gr3tz4h39Y&feature=emb_logo

https://www.youtube.com/watch?time_continue=2&v=ZAAl2uFPayc&feature=emb_logo 

Segundo o informado na ocorrência 133596/2020 no dia 06 de setembro do corrente ano o namorado da vítima T.I.T.G. teria procurado um vizinho de apartamento afirmando que esta se enforcou.

Quando este vizinho chegou ao local a vítima já estava no interior do apartamento, sobre a cama, deitada de costas, momento em que a carregaram até o carro e a levaram à UPA, onde foi constatado o óbito.

O fato foi registrado, com base nas informações do namorado, como suicídio, mas haviam muitas dúvidas e contradições, razão pela qual foi instaurado o inquérito policial para o aprofundamento das investigações.

O laudo de exame tanatoscópico, emitido pelo Instituto Médico Legal de Ariquemes, apontou que os sinais encontrados no corpo da vítima eram incompatíveis com o objeto supostamente utilizado no enforcamento, um pedaço de pano que estava pendurado na grade do ar-condicionado.

Também foram colhidas outras informações relevantes, que serão melhor detalhadas ao final das investigações, razão pela qual foi feita a representação pela prisão temporária, a qual teve parecer favorável do Ministério Público do Estado de Rondônia e foi deferida pela MMa. Juíza Titular da 1ª Vara Criminal de Ariquemes.

Os policiais da Delegacia de Homicídios de Ariquemes localizaram o suspeito C.S. chegando à residência dele nesta noite e efetuaram o cumprimento do mandado de prisão.

Importante ressaltar que o crime de feminicídio, previsto no artigo 121, §2º, VI, do Código Penal, é considerado crime hediondo, com pena prevista de 12 a 30 anos de prisão.

A prisão temporária tem o prazo de 30 dias e neste tempo a Delegacia de Homicídios de Ariquemes concluirá as investigações, podendo ser feita representação pela conversão em prisão preventiva (sem prazo).

Integrante da mitologia Nórdica, Loki é conhecido como o “pai da mentira”, além de ser o deus da trapaça, razão pela qual seu nome foi utilizado para batizar a operação, já que o suspeito teria alterado a cena do crime no intuito de fazer todos acreditarem que a vítima se matou.

 

CASO TÁTILA - Família pedia Justiça e não acreditava em suicídio em Ariquemes - Vídeo
CASO TÁTILA - Família pedia Justiça e não acreditava em suicídio em Ariquemes - Vídeo
CASO TÁTILA - Família pedia Justiça e não acreditava em suicídio em Ariquemes - Vídeo
CASO TÁTILA - Família pedia Justiça e não acreditava em suicídio em Ariquemes - Vídeo