Ariquemes AGORA
Notícias

Leia as principais notícias de Rondônia

ARIQUEMES-RO/ARTIGO - A família Moderna

Por José Nascimento - Educador, 06/04/2010 06h57 atualizada às 06/04/2010 07h01
José Nascimento (Foto: José Nascimento)
José Nascimento - Foto: José Nascimento

A família moderna

 

            Com as mudanças do mundo globalizado todos os segmentos  sociais sofreram e são impostos a tais situações de mudanças, a família desde a criação do mundo é conhecida como a primeira e mais sagrada instituição social e que também teve que adotar novos paradigmas, hoje mudamos de patriarca à .matriarca, é a liberdade feminina no mundo atual.

            Na década de 90, vários países ficaram meio desorientados com relação ao papel ideal do homem e da mulher em suas sociedades. A expansão das liberdades e a expectativa de um novo milênio tornaram esta questão um pouco complicada. No caso brasileiro, a ingenuidade modernista e o enfraquecimento do referencial religioso foram fundamentais para a nova postura familiar.

             A 20 anos atrás era normal as famílias frequentarem assiduamente a Igreja, principalmente aos domingos, não existia nenhum empecilho para esta devoção, para este compromisso, ao passo que hoje tudo ficou liberal, não há mais um controle sobre os filhos e temos as consequências tão explicitas, obviamente não estamos sendo genéricos a todas as famílias claro que ainda existem muitas famílias que preservam estes costumes.

            Com o advento da alta tecnologia: televisão, internet, celular, acabou mudando a rotina nas famílias, hoje o lema é o seguinte, “ não sei se vivo, ou se a globo vive em mim”, ficou muito escasso as reuniões em família.

             Com a liberdade feminina, onde esta passa a assumir o papel de chefe assumindo uma grande responsabilidade e a necessidade da independência financeira tendo que trabalhar manhã, tarde e noite acaba mesmo que sem intenção prejudicando seus filhos, homem e mulher  na verdade deveriam ser o complemento um do outro e não ser tratados como se fossem concorrentes entre si.

            Em geral, o homem é mais racional e conservador enquanto a mulher é mais sentimental, inovadora, observadora. A combinação destas características produz equilíbrio e a eficiência na formação educacional e no sustento da espécie humana, mas para tanto o equilíbrio emocional, a tolerância, a fidelidade o respeito devem ser qualidades preponderantes nestes seres, o respeito mutuo, a fidelidade devem ser compromisso e responsabilidades de ambos.

            . A liderança, na maioria dos casos, é uma necessidade real e tem a finalidade de organizar, de disciplinar, de educar e, portanto, não pode ser desrespeitado, o bom senso deve imperar neste contexto.

É bom lembrarmos, também, que é bíblico “todoo reino dividido contra si mesmo, será assolado; e a casa dividida contra si mesma, cairá.” (Palavras de Jesus cristo em Lucas 11:17). Em outras palavras, toda sociedade, toda família, todo casal dividido contra si mesmo e sem liderança, com certeza fracassará, e as consequências são danosas, pois os filhos irão sofrer com este egoísmo, com esta intolerância, com esta falta de diálogo e paciência entre os casais.

Passamos por momentos delicados atualmente, estamos convivendo com uma triste realidade que responde pelo nome de pedofilia, e não há como negarmos, a desestrutura familiar contribui para tal situação, é comum presenciarmos meninas aos 12 anos se prostituindo e isto dói muito em nossa consciência e tudo isto se deve em muitos casos da falta do convívio efetivamente com os pais, das companhias duvidosas, da liberdade sem limites.

Sou um pedagogo e não faço apologia a violência, aos maos tratos, a tortura, mas desde que foi criado o mito de que a criança não pode apanhar muita coisa começou a mudar nas famílias brasileiras, agora tudo mudou de lado, hoje são os pais que vivem apanhando dos filhos, modesta parte sou favorável a psicologia da varoterapia, resumindo, em certos casos umas palmadinhas ajuda a resolver muitos casos de indisciplinas, pois o ser humano tem o poder de testar uns aos outros.

Hoje o fator educação recai sobre a escola, e educação acaba se responsabilizando pela irresponsabilidade de alguns, o papel da escola atualmente vai além de ensinar e aprender, de preparar o cidadão para o mundo, a mesma tem que exercer o papel de pai e mãe, psicólogo, nutricionista, conciliador, enfim tudo poderia ser diferente se a instituição família fosse levada mais a sério.

Casamento hoje em dia virou negócio,  se faz hoje e amanhã já pode ser desfeito, é um pacto onde quem pode mais chora menos, casar aos 14, 15 anos é natural, é a procriação da irresponsabilidade, são mais inocentes que virão ao mundo com um destino fadado ao sofrimento. 

Hoje vemos quem deveria cuidar, aconselhar, educar ser em muitos casos os primeiros a molestar crianças em nossa sociedade, quem diria um padre, um pastor, um educador, médicos, enfim, muitos outros profissionais e adultos que sabem a gravidade e o crime que conduz a pedofilia simplesmente ignorarem tal situação e sem nenhuma piedade praticarem tal infração, é realmente a banalização do mundo, de uma vez por todas os bons costumes, o caráter e a dignidade, o respeito já não são adjetivos de muitas  família brasileiras.