Ariquemes AGORA
Notícias

Leia as principais notícias de Rondônia

O que pais e mães precisam saber sobre afogamento secundário

Por Família.com.br, 21/10/2016 09h51
 (Foto: Reprodução Google)
Foto: Reprodução Google

"Afogamento Secundário: Morte de Menino 1 Hora após Banho de Piscina serve de Alerta aos Pais!"

Você já ouviu falar em afogamento secundário e afogamento seco? Pois eles existem e podem acontecer com adultos e adolescentes, mas as crianças são mais propensas a desenvolverem o quadro.
No afogamento seco, quando a criança respira a água, a laringe pode ser fechada por espasmo e isso interrompe as suas vias aéreas. Dessa forma a respiração fica muito difícil e a entrada de oxigênio nos pulmões é interrompida. Porém, o coração continua a bombear sangue para os pulmões e é neste evento quea pessoa pode se afogar com os seus próprios fluidos.
No afogamento secundário, a água aspirada fica nos pulmões acumulada e causa um edema pulmonar.
Sintomas
Os sintomas dos dois tipos de afogamento são os mesmos. O que difere é que no "seco" eles começam logo após algum incidente com água. O "secundário" pode iniciar mais tarde, entre 1 e 24 horas depois de alguma brincadeira na piscina, mar ou lago.
Os sintomas são:
• Tosse
• Dor no peito
• Dificuldade para respirar
• Cansaço extremo
• Mudança de comportamento, como irritabilidade ou queda de energia que corresponde que o cérebro não está recebendo oxigênio suficiente.
• Quando você passa um dia na piscina ou no mar, é apenas normal que você se sinta exausto e sonolento, especialmente se você é uma criança e esteve extremamente ativa durante todo o dia.
• É exatamente por isso que Cassandra não suspeitou de nada quando seu filho lhe disse que ele precisava dormir quando chegou em casa depois de passar o dia na piscina.

• Johnny, foi para a cama após o dia cansativo e sua mãe não poderia imaginar que alguma coisa estava errada com ele. Ela foi ver seu filho depois e ficou surpresa com o que viu. A criança tinha espuma na boca e tinha dificuldades para respirar.
• Depois de levá-lo ao pronto socorro imediatamente, a mãe foi informada de que seu filho havia sofrido um “afogamento secundário”.
• Embora seja raro, o "afogamento secundário" pode ser fatal se os sintomas de alerta forem ignorados. Sempre que alguém (crianças e adultos) inala, até mesmo uma pequena quantidade de água (piscina, lago ou mar) pode irritar os pulmões e causar o edema.
• Normalmente há uma pequena quantidade de água nos pulmões quando ocorre o afogamento secundário, mas a pequena quantidade de líquido é suficiente para prejudicar a capacidade dos pulmões de fornecer oxigênio para a corrente sanguínea.
• O que fazer se isso acontecer com o seu filho
• Se notar que ele tem algum dos sinais citados acima você precisa levá-lo ao hospital. Não adianta ir ao consultório do pediatra, pois, alguns exames e procedimentos serão necessários e serão feitos apenas numa sala de emergência.
• Normalmente os problemas são tratáveis e precisam de ajuda médica. Não existe um medicamento para curar esses tipos de problemas. No hospital a criança terá um suporte para verificar se suas vias respiratórias estão desobstruídas e terá monitoramento do nível de oxigênio. Caso seja necessário, a criança usará um tubo de respiração.
• Como prevenir
• A principal coisa a ser feita é sempre estar de olho nas crianças enquanto elas estiverem brincando na água ou perto de um local que tenha água. Nunca as deixe sozinhas, mesmo que pareça seguro ou que a quantidade de água seja pouca.
• Uma criança pode se afogar com 2,5 centímetros de altura de água dentro de um balde, banheira, piscina de plástico ou vaso sanitário, por exemplo.
• Matricule seu filho em aulas sobre segurança na água. Existem classes para bebês a partir dos seis meses de idade. Não esqueça de usar colete salva-vidas neles e sempre os deixe nadar perto de locais onde tenham profissionais de resgate, caso haja um afogamento.
• Para quem tem piscina em casa, a atenção é para que cercas de segurança sejam colocadas ao redor dela e verificar se o acesso esteja sempre bloqueado.
• Quando o assunto é adolescente, os pais devem explicar aos filhos sobre o perigo de afogamentos relacionados ao uso de drogas e bebidas alcoólicas.
• Os telefones para emergência são: 193 - Corpo de Bombeiros, e 192 - Samu.
• Por favor, não deixe de compartilhar este alerta para o máximo de pessoas possíveis! Você pode estar salvando vidas espalhando esta notícia.

• Fonte: Família.com.br

Governo de RO e Famíliares

JOER Juvenil Fase Estadual em Porto Velho - RO